terça-feira, 30 de janeiro de 2018

FDS

Boas companheiros/as do pedal
-
Este último fim-de-semana, ia fazer um teste à minha capacidade de pedalar sozinho, durante muitos quilómetros.
-
Está em vista a minha maior travessia. Chamei-lhe o Quatro em um.
-
São os caminhos de Santiago de Compostela que ainda me faltam fazer.
-
Pelo menos os que me interessam.
-
Via da Prata = Sevilha - Astorga.
Rota São Salvador = León - Oviedo.
Caminho Primitivo = Oviedo - Santiago.
Caminho Português da Costa =  Santiago - Porto.
-
Aproximadamente 1400km, para serem feitos em 15 dias.
-
No entanto, na sexta-feira deu-me a moleza e já não fui fazer a volta programada.
-
Andei na mesma, uma volta mais curta, mais interessante no que toca a trilhos, a outra que ia fazer era mais rolar.
-
Combinei com o Johnny, e lá fomos nós ao Monte Manique.
-
A volta é da autoria do Miguel, Carecas do pedal.
-
O passeio em si foi porreiro, fomos devagar. Ainda se fez o trilho da Anaconda, como só tinha lá passado uma vez e a pé, fiquei com vontade de lá passar novamente, mas a descer de bike.
-
Dito e feito, não foi fácil, mas com atenção e algum cuidado, e bons travões e pneus, tudo se faz.
.
-
No domingo, deixei-me ficar um pouco mais na cama, descansar. Levantei-me um pouco mais tarde que o habitual para andar.
-
Saí de casa perto das 10h, fui nas calmas ainda a decidir o que iria fazer.
-
Tinha dois tracks também muito porreiros à escolha, também da autoria dos Carecas do Pedal.
-
Ia à Raposa ou ao Mont K, lá decidi ir ao Mont, desta vez ia sozinho. Fiz o meu teste neste passeio.
-
E adorei, fui ao sabor do vento. Parava quando quis. Fartei-me de tirar fotos, nada que não seja muito diferente das minhas voltas.
-
Saí às 10h, cheguei a casa às 15h30.
-
Adorei.
-
Sei perfeitamente que um passeio de 50km, não é a mesma coisa que outro de mil e tal.
-
No entanto, vamos ver se este ano fico por cá " há outros passeios que quero fazer, como a rota vicentina, e ir e vir de Fátima por caminhos diferentes."
-
Não há tempo para tudo e assim aproveito para treinar como deve de ser, para esta mega viagem.
-
Foi um fim-de-semana mesmo bom. Que saudades.
-
Ontem, aproveitei para ir a duas aulas de 45m RPM e outra de 30m Sprint, tudo seguido.
-
Que bem me fez.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

VÉSPERA'S

Boas companheiros/as do pedal

Dia 23 fui para o trabalho de bike, porque no dia seguinte ia haver um passeio organizado pelo casal Avocado, em Monsanto.

Como já não ia ao mato há mais de um mês, e a Monsanto ainda há mais. Juntei o útil ao agradável, e fui com um directa em cima.

" De casa ao work, são 14km. + 9h, depois mais uns 10km do trabalho ao terreiro do paço, onde combinei com o Marco. "

Ao sair fui ter com o Marco, depois subimos o Rossio em direcção ao Marquês.

Aí trepámos até ao topo do parque Eduardo VII, Palácio da Justiça, e pela ciclovia até à Serafina.
Era aí o ponto de concentração.

Há dias na minha última crónica disse que com a entrada nos Entas, já não conseguia fazer directas para ir andar.

Grande bofetada que levei.

Fiz a tal directa, andei, curti imenso a volta escolhida pelo Fred.

Ao todo devíamos ser umas vinte pessoas, mais ao menos isso. Do pessoal conhecido eram pelo menos sete pessoas, o resto fomo-nos conhecendo.

5* ambiente, percurso... tudo!

Não vou dizer que foi fácil. Houve uma altura que o cansaço começou a pesar.

Entrei com troca de palavras com o Marco. 
No fim agradeci-lhe.

A troca deveu-se ao facto de querer desistir do passeio, quando faltavam oito quilómetros dos 29.
Pouco depois desse desentendimento parvo.

Juntei-me ao Marco e ao Patacas. Ya, este grande maluco também veio, para se juntar à festa.

A cereja em cima do bolo era mesmo o trilho do Javali, há tanto que curtia de o fazer.

E ali estava ele, não sei se o fizemos todo, mas o que fiz, curti imenso.

Só houve uma descida que não fiz, não pelo susto que era, mas pela incerteza dos outros que desmontaram.

No final ainda houve bolo rei e vinho do porto pra todos.

O passeio tinha ali terminado, mas não para mim. Ainda tinha mais uns quilómetros para casa.

Cheguei a casa morto, eram mais ao menos 14h e tal. Tomei um banho e hibernei.

Só acordei no dia 25 às 5h e tal. Pouco antes de levantar para ir trabalhar.

Obrigado a todos os intervenientes do passado dia.

Continuação de boas festas e BOM ANO

sábado, 16 de dezembro de 2017

BEM-VINDO AOS ENTAS

Olá companheiros/as do pedal

Há muito que já cá não venho. O tempo tem sido escasso para aquelas voltas do dia todo, e o pessoal com quem ando, também anda super ocupado.

Um casou-se, outro foi pai, outro mudou-se pra outra banda (Margem Sul).

Entretanto, como me mudei de residência, já não há muita paciência de ir andar para Monsanto.

O meu novo quintal tem imensos recantos que ainda não conheço.

Ultimamente tenho-me juntado ao Miguel e Ricardo dos Carecas do Pedal.

Tenho evoluído bastante, aquela zona é uma Meca do BTT.

Sério, nunca imaginei os trilhos espetaculares que ali há.

Sempre fui um pouco cagão a descer. Agora já não me reconheço.

Estas últimas semanas não tenho ido para o mato, já não tenho trinta e poucos, ontem entrei nos Entas, Parabéns a mim.

A idade já pesa em algumas circunstâncias.

Exemplo disso; Quando saía de uma noite, ainda havia energia para fazer aquelas voltas do dia todo. Agora não o faço.

Entretanto, há um mês ou dois, fui à corrida do Montepio.

Curti, já não corria há imenso tempo e fiz os 10km abaixo dos 60m. Fiquei super contente.

No presente momento, andar de bicicleta só casa - trabalho - casa, nem 30km chega, e nem sempre vou.

Na sexta-feira passada, o último dia dos 30. Fiz algo memorável. Fui correr e para meu espanto. Bati os meus recordes de distância e tempo.

Corri 18km, numa 01h33m.

Já não corria desde da maratona do Montepio.

Portanto, uma nova década, espero que seja mais produtivo em viagens.
Sejam elas a pé, de bicicleta.

Bem, fico por aqui! 😜

Boas Festas🎶🎙️🎇🎆🎉🎈🎊

Grande Abraço e Beijinhos

domingo, 12 de novembro de 2017

BARRIGA DE MISÉRIAS

Boas companheiros/as do Pedal

A semana passada tirei a barriga de misérias, foram três dias brutais andar com o Miguel e com o Velhote, no nosso Quintal.

Farto de andar nos mesmos locais, Monsanto, e mais Monsanto. Acabei por aceitar os convites do Miguel, e andei na passada Segunda, Quinta e Sexta-Feira.

Tenho evoluído bastante, tanto a trepar com a descer. 

Trilhos como da Raposa, Ti Carlos, Ida à Missa, entre outros, ainda há tanto por andar. As voltas que fizemos até foram curtas em km, mas ricas nos percursos feitos. Cada vez gosto mais do nosso Quintal = Concelho de Loures

Há por muito andar, já conheci alguns dos topos, uns de vista como o Monte Serves, Socorro, Funchal, e outros de ter ido lá, como Moinho Manique e ao Monte K, já lá fui duas vezes, a primeira vez abordagem foi diferente e a sua progressão ao topo a pé, a segunda foi toda trepada em cima da bike.

Aqui anda-se.

Mesmo sendo percursos na casa dos quarenta quilómetros, a altimetria positiva tem sido quase sempre perto dos mil.

FOTOS DOS DIAS:
2ª fEIRA 
6ª fEIRA 1º ÁLBUM & 6ª fEIRA 2º ÁLBUM

5ª fEIRA, NÃO HOUVE FOTOS, ESQUECI-ME DO ROLO!

As fotos falam por si!

domingo, 22 de outubro de 2017

MONTEPIO 2017

Boas companheiros/as do pedal

Hoje fui à minha segunda corrida, Corrida Montepio 2017. 

O meu objectivo era fazer os 10 km em menos dos 60 minutos. Objectivo esse alcançado, ainda tenho de treinar muito mais. A última vez que corri foi na 5ª feira, mas antes disso, já não corria há mais de três meses. 

Gostei da minha prestação. Quero e já estou a fazer por isso. Guerra à barriga, a nossa saúde primeiro. Só o btt não chega.

Tudo que faço é em prol do Cavaleiros do Pedal. Seja a correr, bicicleta! 


 -
-

Para o ano há mais, agora quero é baixar o tempo. 
Vamos ver como correm os treinos.

Abraço


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

HENRIQUE LOPES & CDP

Boas companheiros/as do Pedal

No passado Sábado fui até Azeitão, onde combinei com um amigo do pedal, o Henrique, que pertence ao Clube Team Bike Tavira.

Veio cá passar uns dias, e sendo assim combinámos uma voltinha na Arrábida. Tinha três track's à escolha, tudo a começar e acabar em Azeitão, e escolhi o que passava por locais mais interessantes numa visita rápida por esta fantástica Serra. "Azeitão - Comenda - Capela - Antenas - Azeitão"  

A estreia na Serra não era apenas para o Henrique. Havia também um cavaleiro que se estreava, o Pedro, adorou apesar de não estar em forma, e os restantes membros Eu e o Marco. 

Grupo composto lá arrancámos, primeiro aquecimento, sempre a subir... As fotos em baixo não estão por ordem

-
Pedro - Marco - Convidado de Honra e Eu
 -
Comenda
-
 -
WOW
-

Saindo da Comenda, fomos em direcção à Capela, e um pouco antes de lá chegar, sinto uma dor forte na zona lombar, desço imediatamente da bicicleta e pronto, volta lixada.

A minha sorte é que não esforcei mais, senti, desmontei, alonguei um pouco o corpo para trás, aliviei a dor, prossegui viagem, eles ainda foram à Capela e às antenas, não fui, não estava em condições de arriscar lá ir, também já conhecia.

As subidas fi-las todas à mão, arrisquei descer montando, deu resultado, corpo o mais direito possível, doía na mesma, mas era suportável. Eles pouco depois já me tinham apanhado.

Esta era bem longa
-
No final, o Henrique ficou rendido à Arrábida
-
Tortas de Azeitão
 -
Última paragem 


ThE EnD

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

ÁSTERIX & ÓBELIX

Boas companheiros/as do pedal

Ontem, fui para Azeitão fazer um nocturno, algo que já não fazia algum tempo. Bem, tempo?! 

Talvez uns dois ou três anos, que não ia para mato curtir. Inicialmente íamos fazer um track que julgava ter na memória do GPS... disse bem, pensava que tinha, afinal não tinha nada para estes lados.

-
-

Então fomos em direcção à Quinta da Califórnia, fizemos um quilómetro e meio em estrada, e lá entrámos em mato, single, e depois seguimos até à entrada de uma moradia que ali há, com uma vista de tirar o fôlego.

Depois virámos à esquerda e passámos o cruzamento do trilho Fim do Mundo, e fomos em frente em direcção aos Moinhos. 

-
-

Prosseguindo o Nocturno, seguimos em frente em direcção a Palmela, mas naquela altura não sabíamos para onde íamos, queríamos era andar, estrada não, só mato. 

Se fosse para fazer estrada, ficava em casa, não acho piada nenhuma.

Houve uma altura, entrámos numa zona mais densa de arvoredo, e na descida que fizemos cheia de regos, ia desalmado a descer, e de repente tenho um Encontro Imediato com um Javali. 

" Como fã dos livros do Ásterix & Óbelix, eles é que iam gostar deste encontro, e sem esquecer do Ideiafix, ehehe

Da forma como fugiram, se calhar até pensaram, - Vem ali o Óbelix de bike, Baza!"

Eram dois, outro não o vi, estava nos arbustos ao meu lado esquerdo, aquilo mexeu de tal forma, que era assustador... entretanto, o que me apareceu à frente foge para a direita, deu um salto e galgou a vedação.

Zona do Encontro
-

Depois do pequeno susto, continuámos um pouco às apalpadelas, uma coisa é andar com luz do dia, outra é não conhecer bem a zona e à noite e sem track para nos guiar. Pouco depois atravessámos a estrada para o outro lado e decidimos ir até Palmela e o regresso seria pela cordilheira de moinhos. 

Assim foi, uns bons quilómetros em estradão até Palmela, com o Castelo Pousada no horizonte para nos orientar, como se fosse um estrela a guiar os nossos antepassados navegantes.

Qualidade não é do melhor, mas serve
-

Chegando à entrada de Palmela, junto à rotunda que tem a carroça, seguimos até um dos moinhos, onde nos podíamos abrigar. 

Paragem obrigatória para contemplar aquela vista brutal sobre Setúbal e um pouco de Tróia. 

Laranja e Banana no estômago, era hora de continuar para não quebrar. 

-
-

Como tinha dito, seguimos pela cordilheira dos moinhos no regresso, e sim adorei aqueles trilhos cheios de rocha. Não dava para nos aventurar muito, tínhamos de ser muito cautelosos, o percurso do regresso era muito mais técnico, requeria muita atenção, ao mínimo descuido e chão

Pena ter-me enganado, não é bem engano, também não sabia muito bem onde andava, e fizemos um desvio grande que nos levou fora daquele caminho, estrada. 

Deixo-vos aqui o Gráfico do Nocturno com o link do Track
LINK TRACK - AQUI

No final fiquei com muita vontade de repetir, mas algo com mais quilómetros, juntar uma malta e desbravar estes trilhos ou outros, quero é desbravar e divertir-me à grande!

Bem haja aos parceiros do Nocturno

FiM

domingo, 20 de agosto de 2017

DIVAGAR

Boas companheiros/as do pedal

Há uma semana que não ando, a última volta que dei foi a Turquel, grande passeio, gente muito humilde. E que sabe receber muito bem!

É disto que gosto neste desporto... Fazer novos conhecimentos, locais e gente. 

Bem, o tempo é escasso até ao fim do mês, também não posso estar parado até à próxima folga digna de passeio, os tais que gosto dar, sem contra-relógio, o dia todo.

Durante esta próxima semana que se avizinha, quero vir para o trabalho e casa de bicicleta, é um percurso curto, mas melhor que nada.

Em Setembro, vou ter um pouco mais de tempo para isso. 

E o tal passeio Rota dos Castelos, também é no penúltimo fim de semana, 23-24 Set 2017. 

Desejoso, saudades de uma travessia, curta e será primeira sem ser em autonomia. 

Rever caras conhecidas destas andanças, e muitas outras que só conheço online.

Há outros passeios que quero repetir, como o Alot Of Sand, mas com uma abordagem diferente.

Alot Of Sand
-

Trilhos novos, aproveitar outros passeios feitos e substituir-los pelo da volta original. Mais exigente tecnicamente, mas mais divertido, para quem o irá fazer.

Depois outro que ainda me está atravessado, e há dois anos que tento fazer, e nunca há tempo, ou companhia, é o Caminho do Mar.

Percurso para Fátima, mais a litoral que Caminho do Tejo, e no meu ver, mais exigente, com 205 quilómetros.

É um verdadeiro empeno, tem "+/-" de altimetria 3600 de desnível positivo, é mais do tipo, - Soltem as PAREDES!

Depois, há que regressar a Lisboa, serão mais uns 30 quilómetros, distância compreendia entre o Santuário à estação da CP de Caixarias.

Caminho do Mar
-

Belo Empeno, sei do que falo, pelo menos até Mafra.

Na primeira tentativa, não nos correu como queríamos, e saí-nos o tiro pela culatra. Apanhámos a tempestade vinda dos Açores, o JOAQUIM

E o que custou, as etapas eram e hão-de ficar assim distribuídas

Serão duas etapas:
1ª Etapa -  135 km, Estoril - Caldas da Rainha. E 2ª Etapa com 70 km, das Caldas até Fátima, este percurso tem um itinerário mais interessante que o Caminho do Tejono meu ver.

- Primeira tentativa -
Nem eram 05h quando saí de casa
-
No Comboio - Cais do Sodré / Estoril
-
Já no Estoril
-
- Desistência colectiva -
chovia a potes e ventos ciclónicos
-
Primeira tentativa ficámos por Sintra
 -
Segunda vez, foi mais em reconhecimento até Mafra, ficam aqui as fotos - BELO EMPENO
-
-

Neste momento, quero apenas treinar o suficiente para não morrer nestes dois caminhos que quero fazer, Rota dos Castelos, nem bagagem levo, vamos mesmo numa de descontracção.

A minha companheira do pedal, de certeza que me vai rebocar, ela tem treinado mais do que eu. Qualquer das formas levo a corda, mais vale prevenir. Eh eh eh 

IntÉ

terça-feira, 15 de agosto de 2017

PASSEIO SOLIDÁRIO - TURQUEL

Boas companheiros/as do pedal

Domingo - 13 Agosto 2017

Eu, mais dois amigos aceitámos o convite de ir a Turquel - Alcobaça, a um passeio solidário.

No inicio não sabíamos ao que íamos, qual a Causa do passeio. Julgámos que tivesse a ver com o Clube de Hóquei da região, mas depois ficámos a saber a verdadeira razão. 

tudo pronto, siga para Turquel
-

O caminho para lá, até foi rápido, talvez uma hora de viagem - A1, saída de Aveiras, depois seguir na N1/IC2 lá da zona até Turquel, é num instante.

Quando lá chegámos só havia uma pessoa com bicicleta "Anabela", deu logo para ver que o resto do pessoal era da zona.

Lá fomos comer algo ao bar do pavilhão do Hóquei Clube de Turquel, onde o pessoal do Btt se encontra, e aos poucos foi-se recompondo o ambiente.

A nossa anfitriã "Carla Lourenço", chegou e cumprimentou-nos ainda no Bar, depois fomos para junto do carro, e logo nos introduzimos no ambiente que se estava a viver.


MarcoSobre
-
Carla com a Sónia
-

Minutos depois, lá se deu um pequeno briefing do passeio, e a sua respectiva partida. 
-

Havia duas distâncias do passeio de btt - 35 & 55 km, e uma corrida, em prol do movimento. 

Bem, a partida do pessoal dos 55 km, levavam lume, tudo assapar. Pouco depois a nossa partida, mais num modo de passeio = cruzeiro.

-
-

No passado dia 23 de Julho, houve Maratona em Turquel, aproveitaram os dois troços para o Passeio Solidário. Ainda havia marcas no chão, e fitas balizadoras, e assim os cerra-filas iam limpando as fitas deixadas.

-
-

Como não conheço a zona e fiquei apaixonado pelos trilhos que fizemos, são muito parecidos aos da Maratona dos Superfresco, em Assentis, zona que tão bem conheço.

Adoro este tipo de terreno, pedra embutida no chão, a terra laranja, não fosse eu todo Laranja, eh eh eh eh

Percurso bastante rolante, alguma subida, boas descidas, como era um passeio, e ainda bem, estou em baixo de forma, mais redonda, também é forma.

No inicio fui na roda do Marco e depois no da Sónia, sou mesmo maluco, estes dois têm energia inesgotável, mais a Sónia, mesmo sem dormir, a Mulher anda que se farta.

-
-
A fotografa de serviço 
- MUITO OBRIGADO PELAS FOTOS-
-
O pessoal da organização 5*
-
SObRE.PT
-
Baganha da Zona, Lol
-
 ESTICA lá da zona
-
 Sónia in action
 -
Parte da diversão
-

No final houve um come e bebes, e muito convívio. O mais importante é que podemos ajudar e contribuir para uma causa tão Nobre. Espero que o Jorge recupere o mais rápido possível.

-
O "* ESTICA" tem concorrência em Turquel
-
À amizade e aos Novos Amigos
-

"Nota * - Quem é o ESTICA?

É um ciclista sessentenário, é porta estandarte do Grupo Cicloturismo Vitória Clube de Lisboa, e que é reconhecido pelo seu estilo inconfundível e único, de usar uma fita vermelha presa no capacete."

Ei-lo
-

Adorei conhecer-vos, mesmo. A distância não é muita, e pelo menos uma ou duas vezes por mês, deve dar para lá ir. Pessoal super hospitaleiro, uma pessoa assim até se sente em casa. 

Eu senti-me e a Sónia, só dizia, quero cá voltar, o Marco a mesma coisa. 

Uma coisa é certa, quero uma Jersey deles
-

BEM HAJAM
-

FIM

PESQUISA